Pubalgia



​Entendendo a pubalgia

Também chamada de hérnia do atleta, a pubalgia é uma doença que afeta os tendões do músculo reto abdominal e adutores, assim como a articulação da sínfise púbica, que fica na parte da frente da bacia.

O que pode gerar ?

Normalmente relacionada ao desequilíbrio da musculatura abdominal em atletas de futebol que aumentam o volume de treino e jogo. Muito frequente em jogadores amadores que não realizam o fortalecimento da musculatura.

Sintomas

A principal queixa do paciente com pubalgia é dor na parte inferior do abdômen, que pode irradiar para a parte de dentro das coxas, região genital, testículos ou períneo.

É comum, o paciente referir a piora da dor durante a prática esportiva, principalmente após episódios de chute ou ao realizar abdominais. Alguns paciente até referem dor ao realizar a atividade sexual.

Como fazer o diagnóstico?

Exames de imagem fazem parte do diagnóstico da pubalgia. Estes exames são necessários não só para diagnosticar a pubalgia, mas principalmente para descartar outras doenças que podem ser confundidas com a pubalgia. As principais doenças que podem ser confundidas são o impacto femoroacetabular (IFA) e hérnias inguinais.

Para avaliação da pubalgia e descartar o IFA são solicitadas radiografias da bacia e dos quadris, assim como a ressonância magnética da sínfise púbica e dos quadris. Na pubalgia podemos encontrar lesões dos tendões do reto abdominal e adutores, além de inflamação nos ossos púbicos.

Apesar dos sintomas serem diferentes, descartar a hérnia inguinal com ultrassonografia pode ser necessário a depender do exame físico.

Tratamento

O tratamento da pubalgia é conservador (Não cirúrgico). Inicialmente repouso e anti-inflamatórios são utilizados. O paciente é encaminhado à fisioterapia. O principal objetivo é o fortalecimento do CORE (musculatura central) e estabilização da pelve. A ,aior parte dos pacientes melhorará com um bom tratamento fisioterápico, mas importante saber que o tratamento é longo e envolve dedicação por parte do paciente.

Após a fisioterapia, o paciente deve adotar uma mudança em seus treinamentos; instituindo o fortalecimento do CORE como rotina, com o objetivo de evitar o retorno da pubalgia.

Nos pacientes que não melhoram com tratamento clínico, indicamos a cirurgia. Na cirurgia para pubalgia, buscamos um equilíbrio da musculatura local, liberando parcialmente os tendões dos músculos reto abdominal e adutores com objetivo de enfraquecê-los.


Dr. Bruno Butturi
Especialista em cirurgia do joelho
CRM: 175.419 | RQE: 87.292
USMLE certificate number: 0-959-289-0