Ligamento Colateral Medial



O que é o ligamento colateral medial?

Estrutura fibrosa que conecta o fêmur na tíbia, na porção medial (parte de dentro do joelho).
Tem a função de estabilizar impedir que o joelho deforme em valgo.

Apesar de menos conhecida, as lesões de modo geral do LCM são 2 a 3 vezes mais comuns que das rupturas de LCA.

Diferentemente dos outros ligamentos do joelho, quando lesionado, tem ótima capacidade de cicatrização.

Veja detalhes anatômicos neste vídeo!


O que significa canto posteromedial?

O canto posteromedial é constituído por dois ligamentos, o LCM (principal parte) e o LOP (ligamento oblíquo posterior)



O que causa a lesão do ligamento colateral medial?

O LCM pode ocorrer devido a uma torção do joelho com o pé travado no solo ou ocorrem quando há trauma na parte lateral (parte de fora), levando o joelho para dentro e forçando o valgo.



Quais são os sintomas de uma ruptura MCL?

Os sintomas dependem da gravidade da lesão.
Uma lesão leve (grau I ou II) pode se manifestar com dor nas inserções do ligamento (tanto na tíbia quanto no fêmur). Edema e inflamação na parte interna (medial) do joelho também podem estar presentes.
Em casos mais graves, os pacientes sentem que o joelho está falseando e instável.


As lesões do LCM cicatrizam sem cirurgia?

As lesões isoladas de MCL geralmente cicatrizam por conta própria porque o ligamento é bastante vascularizado, tendo bom suprimento sanguíneo as chances de cicatrização aumentam.
Além disso, esse ligamento é extrarticular (fica fora da parte articular do joelho).
As proteínas do fluido articular atrapalham a cicatrização (como ocorre com as lesões do LCA), logo as chances de cicatrizar aumentam.

Duas situações merecem cuidados especial:
- Quando há lesão do LOP associada, neste caso o joelho fica muito instável e a cicatrização fica prejudicada.
- Quando a lesão é próxima à sua inserção na tíbia. Neste caso, os cotos rompidos do LCM ficam interpostos pelo flexores do joelho (os tendões ficam no meio do caminho), não permitindo os cotos cicatrizarem.

Em ambos casos, o seu ortopedista irá examinar e pode identificar que o ligamento está insuficiente (frouxo).


Qual a melhor maneira de se diagnosticar as lesões do LCM ou canto posteromedial?

O exame físico é essencial, além disso radiografias e imagens de ressonância magnética geralmente são muito úteis.
Eventualmente uma radiografia especial pode ser utilizada, a radiografia com estresse.




Quando operar as lesões do canto posteromedial?

Normalmente, as rupturas de Grau 1 e 2 podem ser tratadas de forma não cirúrgica com fisioterapia e um brace ( Vide foto).
As rupturas de grau 3 quase sempre são tratadas com cirurgia.
Quando há uma ruptura completa do LCM ou quando todas as estruturas do canto póstero-medial do joelho estão lesadas, a cirurgia deve ser realizada dentro de duas semanas após a lesão, assim que a amplitude de movimento tenha sido recuperada.



Como o canto posteromedial é fixado?

As técnicas atuais prezam por restaurar a anatomia do joelho lesionado.
Existem várias técnicas descritas, que podem reconstruir o LCM ou todo o canto posteromedial (LCM e LOP), normalmente é utilizado enxertos de tendão para reconstruir (substituindo o ligamento rompido) e esses tendões são presos no osso através de parafusos.


Quanto tempo dura a recuperação?

Dependendo da gravidade da lesão e dos ligamentos associados lesados, a recuperação pode demorar entre 6 e 12 meses.
O principal objetivo nos primeiros dias é ganhar a amplitude de movimento.
O paciente é liberado para deambulação com auxílio de muletas e eventualmente usará brace (imobilizador) nas primeiras semanas.
Dirigir com o joelho operado geralmente é permitido em cerca de oito semanas de pós-operatório.
Em um segundo momento da reabilitação, deve se iniciar exercícios de fortalecimento. Com a evolução, pode-se realizar exercícios de agilidade e então retornar aos esportes.


Dr. Bruno Butturi
Especialista em cirurgia do joelho
CRM: 175.419 | RQE: 87.292
USMLE certificate number: 0-959-289-0