Lesões Meniscais




O que é o Menisco?


Cada joelho possui dois meniscos, um na parte interna e outro na parte externa do joelho. Eles são pequenos pedaços de cartilagem em forma de C entre a tíbia (tíbia) e o fêmur (osso da coxa) que funcionam como absorvedores de choque.
Eles também ajudam a distribuir o peso igualmente para equilíbrio e estabilidade e facilitam movimentos suaves e controlados do joelho.


É comum lesionar o menisco?


As rupturas do menisco podem ser agudas, o que significa que acontecem repentinamente a partir de uma única lesão, ou degenerativas, significando que acontecem gradualmente ao longo do tempo com o desgaste geral.

As rupturas meniscais agudas são lesões muito comuns no joelho e freqüentemente afetam indivíduos ativos. Em contraste, as rupturas meniscais degenerativas são mais comuns em indivíduos mais velhos, afetando 6 entre 10 pacientes com mais de 65 anos.


Como ocorrem as rupturas do menisco?


As rupturas traumáticas podem ocorrer durante esportes de alto risco, incluindo futebol, tênis e basquete. Normalmente, os mecanismos de lesão envolvem movimentos rápidos nos quais o joelho torce ou gira durante um ajoelhamento ou agachamento.

As rupturas degenerativas ocorrem devido ao desgaste crônico do menisco que se acumula com a idade. Conforme os pacientes envelhecem, o menisco se torna mais rígido e quebradiço. As lesões podem ocorrer em atividades banais do dia-a-dia como entrar e sair do carro ou agachar-se para levantar algum objeto pesado.


Quais os sintomas?


As lesões meniscais causam sintomas característicos, como dor bem localizada na parte interna ou externa do joelho.
O inchaço do joelho podem ocorrer de maneira intermitente, com episódios de melhora e piora.
Eventualmente o paciente pode até sentir o sintoma de travamento do joelho.

Lesões traumáticas

Lesões degenerativas:

As rupturas da alça do balde são lesões grandes e causam um inchaço importante, têm esse nome pois a parte rompida do menisco se assemelha a uma alça de balde.

A lesões radiais são o tipo de lesão mais comum em trauma, normalmente necessitam de cirurgia devido a sua gravidade.

Local da lesão:

A localização da rotura tem um impacto significativo na capacidade de cicatrização da laceração e no tratamento correspondente.

O menisco possui três zonas de vascularização. A zona vermelha é o perímetro externo e tem um suprimento de sangue adequado para facilitar a cicatrização. A zona vermelha-branca é a área de transição no meio com um suprimento de sangue intermediário e capacidade de cura. Finalmente, a zona branca é a parte mais interna sem suprimento de sangue e sem capacidade de cura.

As lacerações na zona branca são geralmente tratadas com a remoção do menisco, também chamada de meniscectomia.

As lágrimas na zona vermelha têm um bom suprimento de sangue, que fornece as substâncias biológicas necessárias para a cura após o reparo cirúrgico.

As lacerações na zona vermelha-branca precisam ser avaliadas para determinar se o reparo cirúrgico é necessário para a cura.

Como é feito o diagnóstico?

A combinação de uma história detalhada, exame físico minucioso, raio-x e uma ressonância magnética é a chave para o diagnóstico bem-sucedido de uma ruptura meniscal.
Freqüentemente, um menisco rompido pode ser diagnosticado com um exame físico e testes especiais.
A radiografia não detectam uma ruptura, mas identificam fraturas, osteoartrite e outras condições.
Uma ressonância magnética pode ser solicitada para confirmar um diagnóstico e fornecer uma avaliação da extensão do dano.

Tratamentos

A combinação do tipo, tamanho e localização da lesão determinará o curso do tratamento.
É possível tratar sem cirurgia roturas pequenas, isso incluirá repouso, compressa com gelo, medicamentos antiinflamatórios e fisioterapia.
Se a dor e o inchaço não desaparecerem em 6 semanas, a cirurgia pode ser indicada.

Quando a lesão é combinada com outras lesões ligamentares, a cirurgia é recomendada!

Opções cirúrgicas

Para lesões do menisco, quase sempre utilizamos o método chamado Artroscopia.
Na cirurgia artroscópica, um tubo pequeno e fino contendo uma câmera é inserido na articulação do joelho para examinar o menisco, pequenas ferramentas também são inseridas em pequenas incisões para reparo ou corte do menisco. Esta cirurgia minimamente invasiva limita os danos, reduz o sangramento e ajuda a promover uma recuperação mais rápida. Geralmente é realizado em hospital-dia, permitindo a alta no mesmo dia da internação.

O menisco é avaliado e então decide-se o melhor tratamento para o paciente. Isso pode incluir:

- Debridamento: Retirada de pequenos fragmentos da zona branca que possam estar destacados de menisco.

- Meniscectomia parcial ou total:

Consiste na remoção de parte ou de todo o menisco, respectivamente.
Esse procedimento só é realizado quando a lesão não permite reparo. O objetivo é sempre retirar o mínimo do menisco, haja vista que a retirada total do menisco está muita associada a degeneração da cartilagem com o tempo.
A fisioterapia será recomendada para auxiliar na cura e melhorar a função. As muletas podem ser usadas para tirar o peso do joelho operado.
Os pacientes podem retornar às atividades diárias em uma semana e aos esportes em dois meses.

- Sutura do menisco:

O reparo artroscópico do menisco é realizado suturando as bordas rasgadas do menisco. Esse procedimento é uma ótima opção para preservação do menisco.

Existem muitos tipos diferentes de reparos meniscais. Na técnica all-inside, o cirurgião sutura o menisco sem ter que fazer incisões adicionais na pele. No entanto, nas lesões maiores é utilizada uma técnica chamada de Inside-out, na qual utiliza-se cânulas para passar as agulhas de dentro do joelho para fora e com isso realizar os pontos no menisco. Nesta técnica, uma incisão na parte interna do joelho é necessária.
Uma última técnica, para reparo das lesões anteriores é chamada de outside-in, com passagem das agulhas de fora para dentro do joelho, precisando apenas de uma pequena incisão adicional na frente do joelho.

All-inside

Inside-out


Dr. Bruno Butturi
Especialista em cirurgia do joelho
CRM: 175.419 | RQE: 87.292
USMLE certificate number: 0-959-289-0